Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Outubro 25, 2015

Terceira idade à luz do filme "Um senhor estagiário"

Onde não há honra pelos idosos, não há porvir para os jovens. 

Não desprezes os ensinamentos dos anciãos, dado que eles os aprenderam com os seus pais. Estudarás com eles o conhecimento e a arte de responder de modo oportuno.” (Eclo 8, 11-12)

Sinopse:A história acompanha Jules (Anne Hathaway), uma bem-sucedida dona de um site de moda, que é abalada pela notícia de que terá que contratar um estagiário. Por uma questão social, os idosos precisam voltar a ativa. Nesse contexto, a moça passa a contar com Ben (Robert de Niro), um senhor de 70 anos que busca novos desafios. O filme tem dois atores consagrados, Robert de Niro (72 anos) e Anne Hathaway (32 anos) fazendo papéis de personagens com idades semelhantes às deles, mas com realidades diferentes.

O Sínodo dos bispos sobre a família explicado aos filhos, em nove pontos

No domingo passado, um dos meus filhos perguntou-me à queima-roupa: «Porquê esse Sínodo era tão importante? Três semanas para dizer o quê?» Eu aceitei o desafio, tentando não "cair na fácil repetição do que é indiscutível ou já foi dito", ou tentando não usar "uma linguagem arcaica ou simplesmente não compreensível", em nove pontos.
1) A Igreja do Papa Francisco ama os homens e as mulheres de hoje, com as suas qualidades (a sua busca de liberdade e credibilidade) e com os seus defeitos (o individualismo e a falta de planeamento em que muitas vezes se atolam as relações entre as pessoas); e assim também as famílias. Na Igreja, porém, há os nostálgicos, ou seja, aqueles que voltam o olhar para o passado, imaginando-o como um paraíso perdido e pensando que podem empurrar os ponteiros do relógio para trás ao som de batalhas e de slogans.

Presidente delegado do Sínodo confirma que discernimento «pode chegar até à comunhão» de recasados.

O arcebispo da Aparecida, no Brasil, o Cardeal Raymundo Damasceno, declarou ontem à Família Cristã e à Agência Ecclesia que o caminho de discernimento que os casais divorciados recasados fazem com o seu confessor ou orientador espiritual pode «chegar até à comunhão e à confissão». «No contacto com um ou com outro casal que deseje ser acompanhado», e depois de «um discernimento sobre a sua situação», «quem sabe, num caso ou noutro, chegar até à comunhão e à confissão», confirmou o cardeal, em declarações proferidas em Roma, no final da missa conclusiva do Sínodo dos Bispos, que decorreu em Roma nas passadas três semanas. O cardeal brasileiro explica que o «Sínodo não tomou nenhuma decisão» geral sobre o assunto, antes determinando que cada caso seja avaliado individualmente. «O Sínodo fala muito do discernimento, porque cada caso é um caso. Não podemos generalizar as situações dos casais que vivem uma segunda união, porque cada um tem uma situação muito concreta, muito especial, com tod…

Família: Relatório final propõe prática do «Discernimento» nas comunidades

O cardeal Christoph Schönborn, arcebispo de Viena, disse hoje no Vaticano que o Sínodo dos Bispos sobre a família propõe critérios de «discernimento» sobre situações como as dos divorciados em segunda união. Em conferência de imprensa, o presidente da Conferência Episcopal da Áustria referiu que o relatório final da assembleia, com votação marcada para esta tarde, «dá critérios não só para a questão do acesso aos Sacramentos mas para o acompanhamento de situações que o Catecismo chama irregulares». Especificamente sobre os divorciados que voltaram a casar civilmente, os participantes falaram com «com grande atenção», sem tocar a questão do acesso à Comunhão de forma «direta», mas com «a palavra chave discernimento». «Não há preto e branco, sim ou não», acrescentou. Esta apresentação traz «critérios fundamentais» para o «discernimento das situações» que são em muitos casos «tremendamente diferentes», sem as «julgar». «A própria palavra do Papa João Paulo II na Familiaris Consortio, diz …

Mensagem final do Papa no Sínodo sobre a Família

Na sessão final do Sínodo dos Bispos sobre a Família o Papa Francisco dirigiu-se aos padres sinodais numa mensagem que publicamos na íntegra.

Amadas Beatitudes, Eminências, Excelências, Queridos irmãos e irmãs!
Quero, antes de mais, agradecer ao Senhor por ter guiado o nosso caminho sinodal nestes anos através do Espírito Santo, que nunca deixa faltar à Igreja o seu apoio. Agradeço de todo o coração ao Cardeal Lorenzo Baldisseri, Secretário-Geral do Sínodo, a D. Fabio Fabene, Subsecretário e, juntamente com eles, agradeço ao Relator, o Cardeal Peter Erdö, e ao Secretário Especial, D. Bruno Forte, aos presidentes delegados, aos secretários, consultores, tradutores e todos aqueles que trabalharam de forma incansável e com total dedicação à Igreja: um cordial obrigado! Agradeço a todos vós, amados padres sinodais, delegados fraternos, auditores, auditoras e conselheiros, párocos e famílias pela vossa activa e frutuosa participação. Agradeço ainda a todas as pessoas que se empenharam, de forma…